A AVENTURA DO DIA-A-DIA

  

O João levantou-se quando passava um quarto de hora das sete horas. Eram . Quinze minutos depois, isto é, às , ele deveria chegar a casa da avó materna, só que isso não foi possível porque o irmão mais novo estava com tosse e demorou a comer o pão e a beber o sumo natural; por isso, só lá chegaram passados 5 minutos. Eram . Faltavam, portanto, minutos para as oito horas.
- Mãe, levas o mais novo ao Jardim de Infância? - perguntou a mãe do João.
- Está bem, não te preocupes. Afinal, ele só entra quando faltarem 5 minutos para as 9 horas . Tenho muito tempo!
- Obrigada, mãe, mas olha que o João deve estar na Escola quando passarem 25 minutos das 8 horas...
- Vamos, meus queridos netos. O nosso dia vai começar. Bom trabalho, filha.
O João acenou à mãe, aconchegou-se à avó e animou-se para mais uma aventura da vida. A aventura do dia-a-dia.
Vaz Nunes/Ovar/2004